De uma cultura marcada pelo colorido das flores, exuberante natureza vulcânica e praias paradisíacas, o Tahiti e suas ilhas têm estas principais características, porém não apenas isto atrai a tantos turistas o ano todo.

Cênicos bangalôs suspensos sobre as águas cristalinas, são idílico cartão-postal desse, que é um dos preferidos destinos dos casais apaixonados para passarem a Lua de Mel.

O Tahiti faz parte da Polinésia, denominação que, do grego, polys = muitos, e nesos = ilhas, quer dizer “Muitas Ilhas”. E, por ser ligada à França, denomina-se Polinésia Francesa, um gigante arquipélago localizado ao sul do oceano Pacífico, entre a Nova Zelândia, a Ilha da Páscoa e o Havaí.

Cultura do Triângulo da Polinésia

Uma cultura bastante mística nasceu neste território pontilhado de ilhas as quais herdaram do seu passado, a civilização mahori, significados essencialmente vivos e marcados em suas peles.

Nela as tatuagens são uma tradição muito forte, por serem consideradas sagradas, ancestralidade dos deuses as quais tinham o poder de proteger os homens das forças sobre humanas negativas, lhes dando equilíbrio entre a potência, a coragem, a saúde e a fertilidade.

Na Polinésia, as tatuagens tiveram seus anos de proibição com a chegada do catolicismo às ilhas, porém, depois, voltaram como forma de reapropriação da tradição, tornando ao seu papel original de identificador social, e hoje, as figuras podem ser representativas dos antepassados, tradicionais ou simplesmente decorativas.

Também predominante nessas ilhas são as músicas alegres e dançantes, com vestimentas típicas revestidas de plantas e flores, sempre com um significado marcado pelas batidas sonoras. É um gracioso mexer de quadris e braços em movimentos ondulares.

A gastronomia típica valoriza muito os alimentos locais dessa região tropical. A facilidade da pesca propicia jantares regados a muitos frutos do mar marinados no leite de coco com suco de limão, uma boa harmonização de sabores asiáticos com ocidentais. Além dos peixes, as carnes de galinha e de porco também aprazem aos gostos mais refinados.

A terra fértil dessas ilhas, produz uma infinidade de frutas como limão, abacaxi, laranja, mamão papaia, banana, melancia e hortaliças locais que são muito bem combinadas com ingredientes importados do mundo todo.

Principais ilhas

Papeete: Esta é a capital e maior cidade do Tahiti, porém é mais cultural que praiana, oferecendo o mercado central Le Marché como principal lugar para observar o modo de vida dessa população, além de adquirir objetos e souvenirs como as típicas flores multicoloridas, frutas cheirosas, as pérolas negras, o artesanato local e o famoso óleo de Monoi produzido a partir da flor da gardênia, excelente para passar nos cabelos, deixando-os mais sedosos.

O Museu Paul Gauguin expõe belíssimas reproduções das obras deste artista francês que passou muito tempo na Polinésia, pintor muito conhecido nestas ilhas. O museu guarda um acervo além de suas pinturas, com fotos e documentação sobre a vida de seu criador.

Outro lugar interessante é o Museu da Pérola, onde conta a história e a trajetória dessa joia rara, mas que é muito cultivada no Tahiti, mostrando desde a busca por elas entre as ostras no mar, até os objetos feitos a partir dela em exibições admiráveis.

Moorea: Lugar para aproveitar belas praias de águas cristalinas e areia branca, como por exemplo a praia de Tiahura, que além disso, ainda oferece uma graciosa galeria de arte moderna e charmoso centro comercial.

Conhecida como Ilha do Abacaxi por produzir muito desta doce fruta, tem algumas opções de passeios além das praias, como por exemplo em Pihaena, onde um safari com quadriciclos rondam parte da ilha, apresentando as magníficas fauna e flora típicas.

Bora Bora: Um dos lugares mais românticos da região, ostenta águas quentes e beleza notável, paraíso perfeito para os casais que buscam tranquilidade a dois. Um de seus atrativos é uma belíssima lagoa com algumas pequenas ilhas que chamam a atenção pela coloração de seus corais.

Atividades de mergulho e snorkeling podem agraciar a sua viagem, por meio de sua aventura aquática, com possibilidade de observar variados tipos de peixes, arraias, tubarões, tartarugas e golfinhos.

Outros desafios no mar, devido às ondas impecáveis dessas ilhas, a prática de surf, windsurfe, kitesurfe ou body boarding, esportes aquáticos bastante estimulantes e recorrentes, como por exemplo, na praia de Teahupoo onde há maior incidência das ondas, consideradas as mais desafiadoras do mundo, cobiçadas pelos maiores profissionais do surf à conquistá-las.

Outras ilhas

Tikehau: Uma pouco habitada ilha, porém de beleza tão estonteante quanto as outras, onde prevalece o tom azulado das águas cristalinas. Tikehau é encantadora exatamente por sua tranquilidade, lugar que também tem a facilidade em praticar mergulho e snorkeling podendo observar até tubarões.

Rangiroa: Ilha a qual sua população vive de pesca, turismo e principalmente o cultivo das pérolas negras. É obrigatório neste lugar, conhecer as ilhas de recifes de corais e a Lagoa azul, passeios realizados de barco ao redor da ilha.

Tahaa: Pequena ilha montanhosa, rodeada de lagoas. Seus atrativos mais procurados são as fazendas de cultivo das pérolas negras, produção muito realizada em muitas destas ilhas; e as plantações de baunilha. Um lugar perfeito para ver e ter contato com arraias e outros tipos de frutos do mar.

Tetiaroa: Ilha cercada de barreiras de corais e areias muito brancas. Seu visual natural é tão espetacular que foi “objeto de desejo” de um dos astros hollywoodianos mais famosos, Marlon Brando. Além de comprar a ilha em 1966, construiu uma casa, que hoje é um resort 5 estrelas que pertence à sua família. Uma verdadeira história de amor pode ser vivenciada neste lugar.

 

O Tahiti é um paraíso florido, romântico e saboroso, e entre esses fatores ainda podemos incluir emoções em aventuras esportivas, além de apreciação artísticas e artesanal. Todos esses atrativos em um perfeito enlace no meio do triângulo polinésio do Pacífico sul.

Em busca de realizar um sonho, Lucila se tornou empresária aos 28 anos quando fundou a Raidho Viagens em 1990, uma operadora especializada em turismo para lugares exóticos e roteiros de experiência. Formada em Letras e pós-graduada em Marketing, já viajou para mais de 70 países, sendo 15 visitas à Índia, destino pelo qual é apaixonada e considerada uma autoridade. Devido a isso, é perita em roteiros incomuns para conhecer culturas e filosofias milenares e os costumes de cada povo, visando o enriquecimento interior junto às belezas dos locais.
Inovadora e conhecida por lançar tendências no mercado, oferece junto à Raidho, excelência na qualidade de serviços e tem orgulho em ter conquistado o prêmio de melhor Operadora da América Latina em viagens para a Índia, pelo governo, por três anos consecutivos.