Seychelles: um pedaço do paraíso

Safáris, animais selvagens, grandes migrações, desertos, tribos e pirâmides: todos esses “lugares comuns” vêm à mente quando se pensa no continente africano. Mas não é só isso.

A África tem, também, um litoral fantástico, com praias de areia muito branca e um mar que brinca de alternar suas cores entre o verde esmeralda, o azul turquesa e um azul profundo. Um desses lugares é o Arquipélago de Seychelles, paraíso tropical caprichosamente distribuído pela natureza a norte e a nordeste de Madagascar, no Oceano Índico.

Seychelles: um pedaço do paraíso

Oficialmente chamado de República das Seicheles ou Seychelles (em inglês e francês), este país é formado por 115 ilhas divididas em dois grupos: 41 graníticas e 74 coralinas. As ilhas estão distribuídas em cinco grupos de atóis: Amirantes, Southern Coral, Alphonse, Farquhar e Aldabra.

As maiores e principais são Mahé, Praslin e La Digue. Elas formam o centro cultural, econômico e turístico do país, onde se concentra quase toda a população do país.

A maior de todas, Mahé, abriga a capital, Victoria, a menor do continente. Essa beleza ímpar é preservada. As ilhas são líderes mundiais em turismo sustentável e, por terem uma legislação ambiental muito restrita, todo projeto turístico é submetido a revisões, consultas ao público e aos conservacionistas.

Seychelles: um pedaço do paraíso

O resultado? Um ambiente natural intacto, onde impera a biodiversidade de flora e de fauna, principalmente no mar, já que há ali mais de mil espécies de peixes registradas e corais muito bem preservados.

Além disso, o país abriga dois Patrimônios Mundiais, ligados à natureza. A floresta natural do Vallée de Mai é uma reserva natural localizada na ilha de Praslin. Ela foi criada para preservar o coco-do-mar, a maior semente do mundo, que pode chegar a 30 quilos.

Já no Atol de Aldabra, vive a maior população de tartarugas marinhas do mundo, com cerca de 150 mil.

Principais atrativos

Passeios de barco, mergulhos, prática de esportes radicais na água são algumas das atividades que se pode fazer por lá. E a Raidho preparou uma lista do que há de melhor em cada um dos principais destinos da região!

Mahé

Na ilha de Mahé há duas praias públicas – muitas outras são particulares, propriedades de grandes redes hoteleiras. Em Beau Vallon, é possível se deliciar com os restaurantes e as barracas de comida da orla. Aproveite para comprar lembrancinhas para os amigos e a família.

Já Anse Royale é um lugar mais calmo, onde se pode tranquilamente nadar, praticar snorkelling e tomar sol na areia.

No Parque Nacional Ste. Anne Marine é possível fazer passeios em barcos com fundo de vidro para observar a flora e fauna marinhas, além de trilhas. Não deixe de passear pela cidade e visitar o mercado Sir Selwyn Selwyn Clarke e conhecer sua variedade de produtos, que vão de especiarias à souvenirs, roupa e arte local.

Outro local incrível, o templo Hindu Lord Vinayagar impressiona com sua arquitetura surpreendente.

Ilhas Praslin

Seychelles: um pedaço do paraíso

Além de excelente infraestrutura hoteleira, a segunda maior ilha de Seychelles possui uma das praias mais belas do país, Anse Lazio. Seu mar, que se quebra bem antes da praia por conta dos corais, apresenta um impressionante e convidativo azul claro.

Ali também está situada a reserva natural Patrimônio da Humanidade, onde é possível fazer trilhas, visitar o aquário local e conhecer uma fazenda onde são cultivadas ostras para a produção de pérolas negras.

La Digue

Seychelles: um pedaço do paraíso

A menor das três pode ser percorrida de bicicleta. O local abriga casarões, florestas ricas em orquídeas e uma das praias mais famosas do arquipélago, Anse Source d’Argent, com rochas graníticas e água cristalina.

As águas tranquilas convidam ao mergulho com snorkel e à observação de tartarugas marinhas. Não deixe de fazer a trilha que visita as praias Gran Anse, Petit Anse e Anse Coco.

E qual a melhor época para conhecer esse paraíso?

Por conta do clima tropical úmido, não há muita diferença de temperatura entre as estações, que variam de 22 a 27 graus entre julho e agosto; e 27 e 32, entre março e abril. Os meses mais chuvosos são dezembro e fevereiro.

Para quem gosta de praticar mergulho, nos períodos de abril a maio e outubro a novembro, a temperatura da água chega a 29 graus e a visibilidade do fundo do mar fica ainda maior.

E a melhor forma de chegar?

Saindo do Brasil, o caminho mais curto para Seychelles é embarcar em voos da Qatar, Emirates, Turkish, South African e Ethiopian Airlines que duram até 22 horas, com escalas em Doha e Dubai – a Raidho tem ótimas opções extensões se essa for sua escolha, fale com a gente!

Conheça todas as opções de pacotes para Seychelles oferecidos pela Raidho. Visite nosso site: www.raidho.com.br/africa/viagem-seychelles e descubra um pedaço do paraíso na Terra. Teremos prazer em te ajudar a viver esse sonho!

Lucila Nedelciu
Em busca de realizar um sonho, Lucila se tornou empresária aos 28 anos quando fundou a Raidho Viagens em 1990, uma operadora especializada em turismo para lugares exóticos e roteiros de experiência. Formada em Letras e pós-graduada em Marketing, já viajou para mais de 70 países, sendo 15 visitas à Índia, destino pelo qual é apaixonada e considerada uma autoridade. Devido a isso, é perita em roteiros incomuns para conhecer culturas e filosofias milenares e os costumes de cada povo, visando o enriquecimento interior junto às belezas dos locais.
Inovadora e conhecida por lançar tendências no mercado, oferece junto à Raidho, excelência na qualidade de serviços e tem orgulho em ter conquistado o prêmio de melhor Operadora da América Latina em viagens para a Índia, pelo governo, por três anos consecutivos.