Culinária e gastronomia: junte a fome com a vontade de viajar

O poeta Mário Quintana disse certa vez que “viajar é trocar a roupa da alma”. Se além de “trocar de roupagem” pudermos aproveitar para adquirir alguns “acessórios”, vivenciando as mais diferentes nuances que as culturas locais apresentam, é ainda melhor. Uma forma bem típica de conhecer um lugar e sua história é por meio de sua gastronomia, experimentando bons restaurantes e fazendo cursos de culinária local. Esse pode ser o motivo central de uma viagem para quem deseja ir além de museus e compras.

Para quem gosta não só de provar, mas também de preparar pratos típicos e se aventurar na cozinha, a Raidho tem pacotes que oferecem aulas de culinária participativa em Lima, no Peru e em Bangkok, na Tailândia. Mas, para quem prefere apenas viajar nos sabores, fizemos uma pequena lista de festivais gastronômicos ao redor do mundo, nos quais juntamos a fome com a vontade de viajar. Boa viagem e bom apetite!

Culinária peruana em Lima

Cada vez mais apreciada em todo o mundo, a culinária peruana apresenta sabores únicos e diversificados que surgiram da mescla de pratos típicos pré-colombianos com a gastronomia trazida pelos conquistadores espanhóis; além das técnicas trazidas por chefs franceses refugiados da Revolução Francesa, no século XVIII e de uma leva de chineses, italianos e japoneses, que migraram para a região nos 100 anos seguintes.

Em Lima, há escolas que oferecem aulas práticas para quem gosta de cozinhar. Muitas também podem envolver uma ida às compras, de preferência, no Mercado Surquillo. Apesar de não ser um ponto turístico muito conhecido, é ali que os amantes da gastronomia e, principalmente, muitos dos chefs mais renomados da cidade costumam fazer suas compras. E isso não é pouca coisa, considerando que Lima foi eleita a capital gastronômica da América Latina, com dois entre os 10melhores restaurantes do mundo.

Na Urban Kitchen, as aulas costumam durar entre 2 horas e 2 horas e meia e o professor supervisiona tudo enquanto dá dicas e conta a história de cada prato. É possível preparar o tradicional ceviche – à base de peixe cru, cebolas, pimenta, milho roxo e outros ingredientes que podem variar conforme a região, tudo cozido no suco de limão. Também há o arroz com mariscos, ají de gallina – de sabor bem picante, é feito com frango desfiado e acompanha com arroz, batatas, ovos cozidos e azeitona preta; causa rellena de pollo ou atum e o lomo saltado.

Mix de sabores na culinária tailandesa

 Culinária e gastronomia: junte a fome com a vontade de viajar

A principal característica dos pratos tailandeses é sua inusitada combinação de especiarias que proporcionam uma rica mistura de sabores e aromas variados. Além do apimentado, é possível sentir o dulçor emprestado de sua variedade de frutas e pimentas doces; o amargo, por sua vez, vem do vinagre e dos sumos de lima e tamarindo; já o salgado é encontrado nos molhos de soja e de peixe. Para quem deseja aprender a harmonizar tudo isso e, na volta da viagem, preparar alguns pratos para os amigos e a família, existem várias escolas que oferecem aulas na forma de culinária participativa, sobretudo na capital Bangkok. Uma das mais antigas e renomadas do país é a The Oriental Thai Cooking School localizada no luxuoso Mandarin Oriental Bangkok

A escola é aberta diariamente e os pratos a serem ensinados variam de acordo com o dia da semana. Com número de vagas limitado, as aulas acontecem de 9h às 13h e são ministradas em inglês. O chef, além de culinária, também dá uma aula de cultura e História do país enquanto apresenta os ingredientes. Ao fim, os pratos preparados são degustados em um dos restaurantes do hotel. Uma informação importante é que, no momento da reserva, é preciso avisar sobre alergias e restrições alimentares.

Festivais gastronômicos pelo mundo

Além das aulas de culinária, em todo o mundo, há inúmeros festivais gastronômicos que

valem a pena serem visitados, se o viajante desejar ter contato direto e sem filtros com

os costumes locais. E nós, da Raidho, separamos alguns imperdíveis: Garlic Festival – Inglaterra 

A festividade acontece no verão, em meados de agosto, em Isle of Wight, e tem como objetivo a arrecadação de fundos para diversas instituições. Durante o evento, os visitantes podem apreciar uma grande diversidade de pratos a base de alho. As receitas variam de cremes, sopas, molhos, pratos principais e até cervejas.

Maine Lobster Festival – Estados Unidos 

Também em agosto, a cidade de Rockland – que fica a mais ou menos quatro horas de carro de Boston e menos de duas horas de Portland –, no estado americano do Maine, recebe um dos festivais mais divertidos e inusitados do mundo. No evento, que já se tornou famoso em todo o mundo, grandes lagostas são cozidas no maior caldeirão já visto para satisfazer o apetite de todos que aparecem por lá. Galway Oyster & Seafood Festival – Irlanda 

 Culinária e gastronomia: junte a fome com a vontade de viajar

Nesta festividade – que acontece no fim de setembro, na cidade de Galway – há entre as atrações uma grande variedade de pratos à base de ostras e frutos do mar, além de uma competição de abertura de ostras e um concurso que elege as melhores fantasias. Festival das Trufas Brancas em Alba – Itália

Este é um dos inúmeros festivais de trufas espalhados por todo o território italiano que marcam a temporada de trufas no país, que acontece no fim do ano, entre outubro e novembro. Os festivais atraem profissionais de gastronomia de todo o mundo. Isto acontece porque a trufa é um ingrediente essencial para muitos pratos requintados.

Hokitika Wild Food Festival – Nova Zelândia

Este festival, que acontece em diversas cidades da Nova Zelândia, traz uma grande variedade de comidas exóticas, como pratos a base de larvas, minhocas e testículos de animais, mas também há pratos considerados “normais” para quem não gosta de se aventurar pelo desconhecido. Pode ser considerado uma celebração da cultura do país e da felicidade do seu povo.

Aproveite para viajar e, além de trocar a roupa da alma, abra-se ao novo e experiente sabores que você, talvez, nem sonharia que existissem.

 

Lucila Nedelciu
Em busca de realizar um sonho, Lucila se tornou empresária aos 28 anos quando fundou a Raidho Viagens em 1990, uma operadora especializada em turismo para lugares exóticos e roteiros de experiência. Formada em Letras e pós-graduada em Marketing, já viajou para mais de 70 países, sendo 15 visitas à Índia, destino pelo qual é apaixonada e considerada uma autoridade. Devido a isso, é perita em roteiros incomuns para conhecer culturas e filosofias milenares e os costumes de cada povo, visando o enriquecimento interior junto às belezas dos locais.
Inovadora e conhecida por lançar tendências no mercado, oferece junto à Raidho, excelência na qualidade de serviços e tem orgulho em ter conquistado o prêmio de melhor Operadora da América Latina em viagens para a Índia, pelo governo, por três anos consecutivos.