Gosta de Trekking? Venha para Pokhara, porta de entrada para a Annapurna

Quando o assunto é Nepal, logo pensamos no Everest e na sua capital, Katmandu. Mas, o que muitos não sabem é que o país abriga oito das 14 montanhas mais altas do mundo e que há outras cidades que merecem a visita tanto quanto a capital. Neste post, nós, da Raidho, que somos especialistas neste destino exótico e exclusivo, falaremos do trekking pela Annapurna, a décima montanha em altitude do mundo e sobre Pokhara, a sua porta de entrada.

Gosta de Trekking? Venha para Pokhara, porta de entrada para a Annapurna

Annapurna, em sânscrito significa “deusa das colheitas”. Alguns a consideram como uma única montanha formada por diversos picos, outros já a veem como uma pequena cadeia. Os picos mais famosos são o Annapurna I, com 8.901 metros e o Annapurna Sul, com 7.219. O I foi o primeiro com mais de 8 mil metros de altura a ser alcançado, antes mesmo do Everest.

Pokhara, a porta de entrada para a Annapurna

Localizada a 200 quilômetros da capital, Pokhara fica às margens do Lago Fewa. É a segunda cidade mais populosa do país e segundo maior polo turístico. Boa parte das atrações giram em torno deste cenário e os turistas costumam se hospedar em uma região chamada Lakeside. E de qualquer lugar que se esteja, é possível vislumbrar a beleza do lago e, ao fundo, as cadeias de montanhas.

Gosta de Trekking? Venha para Pokhara, porta de entrada para a Annapurna

Uma das melhores formas de conhecer o entorno é pedalar. Há inúmeros locais em que é possível alugar uma bike e sair sem destino pela região. Ao redor do lago, há uma grande quantidade de restaurantes, cafés e de lojinhas, onde é possível comprar lembranças para os amigos e a família.

Abaixo, separamos alguns pontos turísticos que valem a pena visitar:

Tibetan Base Camp

O que antes era um simples acampamento virou um bairro. É ali que boa parte dos tibetanos que fugiram do país se refugiam. Não deixe de visitar o pequeno monastério e de apreciar a arte tibetana nas lojinhas que existem por ali.

Templo de Tal Barahi

Outra boa dica é pegar um barquinho e ir até o Templo de Tal Barahi, em homenagem à deusa hindu Durga, que fica em uma pequena ilha na região e é tombado como Patrimônio da Unesco.

Shanti Estupa

Gosta de Trekking? Venha para Pokhara, porta de entrada para a Annapurna

Toda branca, foi construída como um símbolo de paz. Localizada no topo de um monte de onde é possível ver a cidade de Pokhara e das montanhas Annapurna ao fundo. Para quem curte uma boa dose de adrenalina, uma dica é fazer um passeio de paraglider na região do vilarejo de Sarangkot.

O trekking

O circuito de trekking da Annapurna atrai turistas dos mais diversos perfis, que vêm de diversas partes do mundo em busca de superação e de maior contato com a natureza. O circuito foi aberto ao público em 1980 e, desde então, vem se tornando uma das trilhas mais visitadas do planeta. Há trilhas para todos os gostos, desde as mais curtas e acessíveis, passando pelas mais longas e de maior dificuldade. A rota completa possui 200 quilômetros de extensão e leva cerca de 20 dias para ser completada.

Independentemente  do tipo de trilha escolhida, cada dia reserva uma surpresa ao turista. Em questão de horas, a paisagem pode mudar completamente. Ao longo do caminho, nos vilarejos, há diversas pousadas e tendas de chá, o que garante hospedagem e alimentação para quem deseja se aventurar no trajeto.

Pela Raidho, o trekking até o acampamento base do Annapurna entre ida e volta dura oito dias. Para realizá-lo é preciso estar com boa saúde e em plena forma já que, além das muitas horas de caminhada, há subidas e descidas íngremes, além de travessia de rios e descidas de escadarias.

Quando realizar o trekking na Annapurna

Graças ao clima agradável e céu limpo da primavera, outubro é o melhor mês do ano para quem pretende fazer o trekking. Nesta época, as temperaturas costumam ficar em torno de 26°C. O ar fica ligeiramente úmido a 600 metros de altitude. Já nos 5 mil metros, cai para -5°C e o ar fica seco. Apesar de, à primeira vista, parecerem temperaturas muito baixas, são muito agradáveis quando comparadas com o frio extremo do inverno e do forte calor do verão. Além disso, os rododentros florescem na primavera, criando um belíssimo cenário.

Aproveite a viagem para se reencontrar consigo, superar limites ou, simplesmente, apreciar novas paisagens. Seja qual for o motivo de sua viagem, conte com a assistência da equipe da Raidho, especialista em destinos exóticos e exclusivos, como a Índia.

 

Em busca de realizar um sonho, Lucila se tornou empresária aos 28 anos quando fundou a Raidho Viagens em 1990, uma operadora especializada em turismo para lugares exóticos e roteiros de experiência. Formada em Letras e pós-graduada em Marketing, já viajou para mais de 70 países, sendo 15 visitas à Índia, destino pelo qual é apaixonada e considerada uma autoridade. Devido a isso, é perita em roteiros incomuns para conhecer culturas e filosofias milenares e os costumes de cada povo, visando o enriquecimento interior junto às belezas dos locais.
Inovadora e conhecida por lançar tendências no mercado, oferece junto à Raidho, excelência na qualidade de serviços e tem orgulho em ter conquistado o prêmio de melhor Operadora da América Latina em viagens para a Índia, pelo governo, por três anos consecutivos.