Por onde quer que se olhe, há um templo com arquitetura intrincada e esculturas cuja riqueza de detalhes impressiona. A visão é desviada por um grupo de monges vestidos de um laranja muito vivo que se destacam na multidão e parecem sumir em meio à fumaça aromática do incenso que se assemelha a um tecido etéreo.

A atmosfera é de paz e tranquilidade, apesar do grande número de visitantes vindos de todos os lugares do mundo. Este é o clima na região da Indochina, região no sudeste da Ásia que engloba Vietnã, Laos e Camboja.

Há quem inclua a Tailândia na lista. O nome se explica pelo fato de que a região está na confluência das culturas indiana (a oeste) e chinesa (ao norte). É um destino exótico, perfeito para quem quer descansar e ter experiências com pitadas de aventura, mas sem esquecer o luxo e o requinte.

Colonizada pela França, entre os séculos 19 e 20, é uma região onde surgiram grandes civilizações, com muita História. Descubra os tesouros deste lugar cheio de belezas naturais e calor tropical, em

três destinos diferentes!

Vietnã

Descubra os tesouros da Indochina

Templo da Literatura

 

A aventura começa por Hanói, a vibrante capital vietnamita, cheia de influências da colonização europeia, principalmente no que se refere à arquitetura. Em contraponto estão os monumentos construídos para lembrar a independência do país, principalmente o Mausoléu do líder revolucionário Ho Chi Minh.

Visite o Templo da Literatura, erguido em homenagem ao pensador chinês, Confúcio, em 1070, e que foi sede da primeira universidade vietnamita. Dali, programe-se para percorrer as ruas do bairro antigo e aproveite para fazer compras, desde roupas até lembrancinhas, tudo com um preço ótimo.

Uma boa dica é o café vietnamita, famoso por seus aromas. Então, não se esqueça de, entre uma compra e outra, parar em um bistrô ou lanchonete e pedir a bebida. Para descansar e fugir do agito e da superpopulação de Hanói, nada melhor que embarcar em um cruzeiro pela belíssima baía de Halong.

Outra cidade que não pode ficar fora do itinerário é Hoi An, considerada uma das cidades mais bonitas do sudeste asiático, com seu centro histórico tombado como Patrimônio Mundial da Humanidade. Ela tem atrativos que vão desde praia até os campos de arroz. Não esqueça de tirar fotos na Ponte Japonesa e soltar uma vela flutuante no rio, enquanto faz um pedido.

Camboja

Descubra os tesouros da Indochina

Templo Angkor

 

Apesar de não ser a capital do Camboja, Siem Reap é visitada por milhões de turistas todos os anos porque a cidade é o ponto de partida para conhecer um dos mais incríveis Patrimônios da Humanidade eleito pela Unesco: o Complexo de Angkor.

São incríveis 400 quilômetros quadrados compostos por mais de mil edifícios sagrados construídos

pelo poderoso Império Khmer ao norte do Camboja. No auge, que compreendeu os anos de 802 a 1220, a cidade foi a capital de um império que se estendia do Mianmar ao Vietnã, cobrindo grande parte do Sudeste Asiático.

O principal templo é o Angkor Wat, maior monumento religioso do mundo, construído no começo do século XVII e que levou 30 anos para ficar pronto. Para melhor aproveitar o passeio, a dica é chegar antes do sol nascer e apreciar este espetáculo a partir dali.

Não deixe de visitar o templo budista de Bayon e ver de perto os impressionantes rostos esculpidos na rocha. O que mais chama a atenção é a riqueza de detalhes e o estado de conservação das mais de 11 mil figuras dispostas ao longo de uma parede de 1,2 quilômetros. Outro lugar imperdível é Prasat Ta Prohm, com suas árvores de troncos retorcidos que cresceram sobre as ruínas. E quem é fã da atriz Angelina Jolie e de filmes de ação, certamente, reconhecerá o local como um dos cenários do filme Lara Croft: Tomb Raider.

Laos

Cachoeira de Kuang

 

O local de encontro dos rios Mekong – um dos mais importantes do sudeste asiático – e Naham está a cidade mais turística do Laos: é a pequena, mas não menos cheia de encantos, Luang Prabang. E tudo começa logo antes do amanhecer.

No ritual denominado Tag Bat, uma profusão de monges budistas, sai em fila, em silêncio, pelas ruas, para coletar doações e sua única refeição, enchendo seus cestos com arroz e frutas. Este é um ritual que acontece em todos os países do sudeste asiático, mas por conta da grande concentração de templos existentes na cidade, o espetáculo também se mostra mais proeminente.

Depois, aproveite para tomar um café em um bistrô, visitar os mercados – com destaque para o Hmong – e visitar os templos de Wat Xieng Muan, o Wat Pa Huak, o Wat Sene, e o Wat Xieng Thong, do século 16.

E quando as temperaturas subirem, a melhor pedida é visitar as cachoeiras de Kuang Si e nadar nas piscinas naturais localizadas em diferentes níveis. Outro passeio imperdível é apreciar o sol ir embora às margens do Rio Mekong e também fazer um cruzeiro para conhecer as cavernas de Pak Ou, onde há milhares de estátuas de Buda. À noite, não deixe de visitar o Night Market, um dos mais bonitos do sudeste asiático e terminar a noite bebendo a Beerlao, a famosa cerveja local.

Com tantos detalhes encantadores, uma única viagem não será suficiente para conhecer todos os tesouros da Indochina. Aliás, seus inúmeros atrativos fazem com que o turista queira voltar cada vez mais à região. E quem vai, nunca volta o mesmo!

Em busca de realizar um sonho, Lucila se tornou empresária aos 28 anos quando fundou a Raidho Viagens em 1990, uma operadora especializada em turismo para lugares exóticos e roteiros de experiência. Formada em Letras e pós-graduada em Marketing, já viajou para mais de 70 países, sendo 15 visitas à Índia, destino pelo qual é apaixonada e considerada uma autoridade. Devido a isso, é perita em roteiros incomuns para conhecer culturas e filosofias milenares e os costumes de cada povo, visando o enriquecimento interior junto às belezas dos locais.
Inovadora e conhecida por lançar tendências no mercado, oferece junto à Raidho, excelência na qualidade de serviços e tem orgulho em ter conquistado o prêmio de melhor Operadora da América Latina em viagens para a Índia, pelo governo, por três anos consecutivos.